domingo, 21 de abril de 2013

QUE LEITOR FORMAR NA ESCOLA?



Bem hoje, é fundamental o processo de formação de nossos alunos como leitores. No entanto, para a eficácia dos resultados, devemos levar em consideração que tipo de leitor eu como profissional estarei formando na escola.

Nossos alunos podem adquirir o hábito de leitura, mas para que de fato isto aconteça na escola é preciso estratégias de formação adequada em cada nível e faixa etária no processo de transmissão do conhecimento. Devemos averiguar que tipo de leitores possuímos, para que possamos elaborar um projeto de intervenção em relação aos leitores que queremos formar.

Os jovens gostam de ler vários tipos de informações de seu interesse imediato em um curto período de tempo, o necessário para obter a informação necessária. Por exemplo, leitura relacionada a jogos, vídeo game, futebol, e assim por diante. No entanto, queremos formar um leitor de mundo, onde sua leitura resignifique seus hábitos diários e planejem ações futuras. Devemos aumentar uma perspectiva onde os alunos irão ter por meio da leitura, que não irá conseguir por meio de veículos comunicacionais.

O objetivo é que todo leitor modifique sua prática ou até mesmo aprimore, por meio de uma nova rotina ou hábitos de leitura e que assim utilizem na sua vida profissional e pessoal. Na escola, por exemplo, poderemos trabalhar o senso crítico de nossos alunos por meio de projetos de leitura literária, por meio de dramatizações daquilo que foi lido e espalhar por toda a escola suas produções valorizando seu senso criativo que surgiu por meio da leitura.

São práticas que podem ser trabalhadas nas escolas para que possamos formar o tipo de leitor que desejamos, um leitor com senso crítico e com capacidade de julgar e vivenciar o que foi aprendido por meio deste processo. Diferentemente daqueles que leem apenas para ficar informado, mas neste caso de leitores que formamos, os mesmos serão também multiplicadores no processo ensino aprendizagem.

Esta mesma leitura dinamizada deve ser compartilhada com toda a comunidade escolar, onde todos estarão envolvidos nesta construção sendo partícipes dos leitores que queremos formar. De fato, quando o professor cria oportunidades para socializar esse processo mesmo que em sala de aula, isto causa um resultado surpreendente daquele que construiu um pensamento, uma ideia surgida pelo processo de ler.

Por meio de projetos didáticos e ou ações similares, podemos mostrar aos nossos alunos, o papel que a leitura traz para nossas realizações pessoais. Onde a leitura, não é apenas uma forma de recreação e nem apenas para transmitir informações de necessidades imediatas. Contudo, a leitura faz parte do processo de construção do saber, onde haverá mudanças e construirá novos rumos por meio da leitura que é realizada na escola. São esses leitores que queremos formar.

 Por: Carlos Fernando de Oliveira Sousa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário